segunda-feira, 20 de outubro de 2008

I've been around this world, Yet I see no end. All shall fade to black again and again.

Uuhuuul quarta postagem o/ let's go!!
Como todo bom headbanger, que vive de música mais que de ar, eu gosto de saber histórias dos músicos que eu admiro, (além de aprender a tocar um instrumento, mas isso é assunto pra outro post xD), e eu admiro muito, muito mesmo um cara que chamava Randy Rhoads, na minha opnião, o melhor guitarrista que existiu (uma vez que Jimmy Page e Jimi Hendrix não contam), e morreu de uma forma tão estúpida...
Para quem não sabe, a história é a seguinte:

Em 18 de março de 1982, a banda de Ozzy tocava no Civic Coliseum em Knoxville (Tennessee) e dali iriam para Orlando (Flórida) no Rock Super Bowl XIV com os artistas Foreigner, Bryan Adams e UFO. A caminho de Orlando passaram pela casa do motorista do ônibus, Andrew Aycock, que vivia em Leesbur (Flórida). O lugar consistia de três casas, um hangar para avião e uma pista de pouso, cujo dono era Jerry Calhoun. Andrew Aycock precisava de umas peças sobressalentes e pensou em parar ali.

Andrew Aycock, que tinha dirigido a noite toda desde Knoxville, e era piloto, pegou no dia seguinte o avião sem permissão e levou o tecladista Don Airey e o empresário Jat Duncan para dar umas voltas. O certificado médico de Andrew tinha expirado, portanto sua licença para voar não era válida. Perto das nove horas, Andrew deixou os dois passageiros e convidou Randy Rhoads e Rachel Youngblood (que fazia as maquiagens) para dar umas voltas. O avião voava baixo e passava zunindo perto do estacionamento onde estava o ônibus. Há pouco tempo o piloto havia passado por um divórcio sórdido. Passaram duas vezes. Na terceira, a asa esquerda do avião raspou no teto do ônibus, bateu num pinheiro e caiu na garagem de Jerry Calhoun, explodindo e destruindo tudo. Ozzy Osbourne, Tommy Aldrige, Rudy Sarzo e Sharon Arden, que tinham acordado com o primeiro impacto, achavam que se tratava de um acidente na estrada. Wanda Aycock e Don Airey, atônitos, tinham testemunhado tudo. Ozzy ainda correu para prestar socorro. Ele entrou na casa e salvou um homem que estava em chamas, mas Randy estava morto. O concerto do Rock Super Bowl XIV foi cancelado e os promotores devolveram o dinheiro dos ingressos.(fonte wikpédia)

...

Há relatos de que o motorista pensou ter visto sua ex-mulher entrando no ônibus, e por isso tentou jogar o avião contra o ônibus...

Isso é inimaginável, como pode uma lenda como Randy Rhoads morrer de uma maneira tão cretina por causa de um infeliz que nem devia ter nascido??!!??

O mesmo vale para Dimebag Darrell guitarrista do Pantera, assassinado em pleno palco durante um show por causa de um imbecil...

Ou então Cliff Burton, baixista do Metallica, esmagado por um ônibus (duas vezes!), durante uma turnê na Suécia... isso para não falar em John Lennon...

Como pode tantas lendas morrerem de jeitos tão estúpidos?!?

Pessoalmente acho que essas pessoas deviam ser imortais, ou pelo menos longevas o suficiente para várias gerações conhecerem suas obras, ninguém quer morrer, mas algumas pessoas não deviam morrer...

Dizer que lendas não morrem, permanecem nas suas obras, é mascarar a verdade de que nunca mais haverá novas obras por que a pessoa morreu.

Não sei porque, mas quando escuto uma música que seja uma homenagem a uma dessas pessoas, sinto uma perda como se fosse um ente querido que morresse...

Realmente, lendas deviam ser imortais...

Música do dia: Black Label Society - In This River

Ps: Randy, esse post é dedicado a você ^^ , um dia eu vou até o inferno ver a banda que você formou aí com o Cliff Burton, Bon Scott, John Bonham e Dimebag Darrell, só não cobrem ingresso ok?

2 comentários:

TGO disse...

argh, malditos sejam os q mataram eles "/
mas faze oq, bola pra frente =P
só torcer pra q não aconteça isso mais xD

corvo disse...

... fazer oq, embora eu não curta tanto assim esses kras... morte estupida mesmo. ¬¬