quarta-feira, 20 de maio de 2009

Lisbon Revisited

Bom, eu sei que prometia voltar a postar como antigamente, mas um desânimo sem igual e uma imensa vontade de mandar tudo e todos ao inferno me fizeram postar aqui uma poesia que li esses dias e que traduz perfeitamente o que estou pensando nesse momento.
Se gostarem comentem, se não ignorem ;~

Lisbon Revisited

Álvaro de Campos

NÃO: Não quero nada.
Já disse que não quero nada.

Não me venham com conclusões!
A única conclusão é morrer.

Não me tragam estéticas!
Não me falem em moral!

Tirem-me daqui a metafísica!
Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas
Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!) —
Das ciências, das artes, da civilização moderna!

Que mal fiz eu aos deuses todos?

Se têm a verdade, guardem-na!

Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica.
Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo.
Com todo o direito a sê-lo, ouviram?

Não me macem, por amor de Deus!

Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?
Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim, como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
Para que havemos de ir juntos?

Não me peguem no braço!
Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho.
Já disse que sou sozinho!
Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia!

Ó céu azul — o mesmo da minha infância —
Eterna verdade vazia e perfeita!
Ó macio Tejo ancestral e mudo,
Pequena verdade onde o céu se reflete!
Ó mágoa revisitada, Lisboa de outrora de hoje!
Nada me dais, nada me tirais, nada sois que eu me sinta.

Deixem-me em paz! Não tardo, que eu nunca tardo...
E enquanto tarda o Abismo e o Silêncio quero estar sozinho!

Pronto, a poesia está aí, em tempo, estou vendendo algumas emoções, tratar por comentário, qualquer oferta vale.
PS: Não tem música do dia hoje, não acho que alguém escute o que posto aqui mesmo. ;~
PS²: Uma frase pra fechar o post: "Por esperança eu daria tudo que sou."

7 comentários:

Maria Luísa disse...

aff q vender sentimento oq gui ¬¬

jah sabe oq penso neh!!!

gui poesia linda mesmo *-*

e eu ouço as musikinhas q vc posta XD

Nuno Coelho disse...

Mais uma do gênio Fernando Pessoa! (não sei se viu meu comentário na outra)Eu pessoalmente acredito que Fernando Pessoa é o maior escritor que já passou sobre a Terra. Postar algo dele é sempre válido.
Quanto ao desânimo, tenho um coselho a dar. Ligue o "Foda-se" e bola pra frente, meu amigo! A vida continua, a banda toca e a caravana passa.
Abrass

Galta disse...

xD

Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!


sem mais nada a dizer ^^

OLD IS COOL disse...

quanto comentario gui =O
viu como até q tem bastante bego q le seu blog ; ~

abraço o/

vlw pelos comentarios la no oldiscool.bgs

ParadoXos disse...

e depois da tempestade... virá a poesia!


abraços

Maria Luísa disse...

Gui posta um poema seu???
pf!!!!!!!!!!
*-*

Nazare Varella disse...

lindo!Lindo... eu já coloquei nos meus favoritos.
Eu amo Fernando Pessoa.

AUTOPSICOGRAFIA
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.


Fernando Pessoa